Remuneração e Salário: Entenda a diferença entre eles!

Se você ainda tem dúvidas sobre a diferença entre remuneração e salário, esse conteúdo é para você! Leia o artigo e entenda tudo sobre o assunto.
Tempo estimado de leitura: 9 minutos

Para dar início, é importante entender que mesmo sendo usados para se referir a mesma coisa, remuneração e salário são termos com conceitos diferentes. E saber quais são os aspectos que os diferenciam, é essencial para uma empresa.

Dessa forma, aprender sobre as formas de pagamentos facilita muito a vida financeira de uma organização. Então, se você é um gestor e ainda não está por dentro desse assunto, este artigo é para você! 

É um processo que se inicia ainda na admissão de um funcionário, nesse momento é importante diferenciar todos os itens que compõem o salário do colaborador. Desse modo, seguindo o que está previsto na CLT, é importante acompanhar corretamente os itens que compõem a remuneração em contrato também. 

Isso quer dizer que, a empresa precisa estar por dentro de tudo que envolve a remuneração e salário de seus funcionários, pois isso é um fator essencial para a tomada de decisão estratégica dentro da organização.

Se você é um gestor ou líder do departamento de recursos humanos, está na hora de aprender a diferença entre ambas modalidades e garantir que todo o seu quadro de pessoal também esteja alinhado com as decisões estratégicas estabelecidas dentro da empresa. 

Para isso, a QR Point preparou esse artigo, a fim de contribuir com todas as dúvidas que você ainda tem sobre o assunto. Boa leitura! 

O que é salário? 

Segundo o art.72 da CLT, a definição de salário é a prestação devida ao funcionário pela prestação de serviços do mesmo. Ou seja, é a quantia paga pela empresa ao colaborador pelos serviços prestados durante um período. Vale lembrar que tal período consta no contrato de trabalho individual. 

Aqui no Brasil, o que conhecemos como salário mínimo é o valor fixo determinado pelo governo e ajustado anualmente. é importante ressaltar que esse cálculo é feito em cima da jornada de trabalho de 44 horas semanais. 

Além disso, alguns estados estabelecem um salário mínimo regional que, geralmente, são valores superiores aos adotados pelo governo federal. Isso acontece porque cada região brasileira envolve um custo de vida e consumo diferente. 

Nas instituições públicas geralmente os salários não estão passíveis de reajustes quanto na rede privada, onde eles podem ter valores mais elevados, pois existe uma flexibilização de ajustes melhor.

Quais os tipos de salário? 

Até aqui já concluímos que o salário mínimo nada mais é do que uma recompensa ao colaborador pelo trabalho desempenhado durante o período combinado em contrato. Mas o que você ainda não sabe é que pode existir diversos tipos dessa recompensa. 

Salário Mínimo 

Esse tipo é aquele que já explicamos acima, ele se baseia no que é estipulado pelas leis trabalhistas. Dessa forma, ele define a menor quantia que uma empresa pode para o colaborador pela sua jornada de trabalho. 

Existem os salários mínimos definidos em âmbito nacional, mas também existe a possibilidade de cada região e/ou estado definir o seu. 

Salário Base

Nesse caso, ele é definido de acordo com cada contrato de trabalho, entre a empresa e o colaborador. Ou seja, uma remuneração fixa que não conta nem com adicionais, nem com variáveis. 

Piso Salarial

Já o piso salarial, é definido por uma convenção coletiva entre o colaborador e o sindicato da sua categoria. Ou seja, é proporcional à complexidade do cargo de cada categoria. Então, desse modo, a empresa deve obedecer o que o piso salarial do cargo em questão tem como valor definido. 

Salário Bruto

O salário bruto nada mais é do que o salário base, antes dos descontos de impostos como o INSS e IRRF. Ou seja, o valor cheio. 

Salário Líquido 

Já no caso do salário líquido, é o valor do salário base, mas desta vez com os descontos previstos pela legislação. Os descontos são relacionados ao INSS, vale transporte e outros impostos. 

O que é remuneração? 

Para você que ainda não compreendeu, a remuneração nada mais é do que a soma do salário acordado em contrato junto com outras vantagens que variam de acordo com a empresa e com a categoria do trabalho.

 Ou seja, tudo aquilo além do valor fixo que o colaborador recebe mensalmente em troca do seu trabalho, veja os  exemplos abaixo: 

  • Horas extras;
  • Adicionais noturnos;
  • Adicionais de insalubridade e periculosidade;
  • Comissões e Gratificações;
  • Gorjetas;
  • Auxílios de alimentação, saúde e transporte;
  • Participação nos lucros (PL);
  • Entre outros incentivos. 

Desse modo, conseguimos estipular que salário é uma forma de remuneração, mas dentro da remuneração tem outros benefícios além do salário. 

De acordo com a legislação, no art 457 da CLT parcelas como abonos, ajuda de custo e prêmios, não podem fazer parte da remuneração do colaborador. Ou seja, caso seja acordado entre a empresa e seus colaboradores, ela deve arcar com esses custos além da remuneração.

Se você ainda tem dúvidas sobre a diferença entre remuneração e salário, esse conteúdo é para você! Leia o artigo e entenda tudo sobre o assunto.

Quais os tipos de remuneração? 

Agora que você já aprendeu um pouco mais sobre a diferença entre remuneração e salário, saiba que também existe a possibilidade da remuneração ser classificada por alguns tipos, confira a seguir.  

Remuneração Funcional

Esse é o tipo mais comum de remuneração, isso porque faz parte do plano de cargos e salários. A base dele é a descrição das tarefas e responsabilidades exercidas por cada colaborador dentro da empresa. 

Nesta modalidade é levado em consideração as responsabilidades de cada profissional de acordo com o cargo que ocupam na organização. Ou seja, essa prática define os níveis de hierarquia e garante o equilíbrio e senso de justiça no ambiente de trabalho. 

Remuneração Variável

A remuneração variável, como o próprio nome já diz, não é fixa e pode variar em função de cada cargo e/ou empresa . Ou seja, ela pode mudar de acordo com os critérios estabelecidos por cada organização. 

Nesse caso, ela costuma estar atrelada ao desempenho dos colaboradores em suas demandas e responsabilidades. Desse modo, a remuneração varia de acordo com os resultados obtidos ao final do mês. 

Mas é importante ressaltar que o valor da remuneração variável não pode ser menor do que o salário mínimo previsto na legislação.  

Remuneração por habilidades

Já nesse caso, as habilidades e competências dos profissionais são os fatores de maior observação. É muito comum que a empresa considere os resultados e potencialidades de cada profissional ao invés do cargo ocupado por eles. 

Dessa forma, esse tipo de remuneração pode ser usado como fonte de incentivo aos profissionais, buscando a qualificação e especialização de cada um, além do melhor desenvolvimento das demandas dentro da empresa.  

Remuneração acionária

É comum que esse tipo de remuneração atue em empresas de capital aberto, e por isso, não é muito adotada pelas empresas do Brasil. Ela consiste em oferecer parte do lucro ou dividendos aos seus colaboradores. 

Essa modalidade normalmente é adotada de forma estratégica, para que os profissionais sintam-se como donos da organização, aumentando o nível de comprometimento e responsabilidade dos mesmos.

Comissões e Premiações

Esse é um tipo de remuneração variável e é muito comum que as empresas utilizem ela para motivar seus funcionários. Dessa forma, as comissões são porcentagens repassadas aos colaboradores como forma de benefício por terem cumprido as demandas e alcançado as metas da organização. 

Já as premiações, também estão relacionadas ao cumprimento dos objetivos individuais e coletivos dentro de uma empresa. Dessa forma, ao atingirem o resultado esperado, os profissionais podem receber benefícios ou prêmios pré estabelecidos como forma de agradecimento. 

Remuneração por competência

Nessa modalidade o que conta são as competências exigidas por cada cargo dentro de uma organização. Ou seja, se uma posição exige que o colaborador tenha fluência em algum idioma e outra função não exige, as remunerações podem ser diferentes entre ambas. 

Essa decisão é feita por cada empresa, e ela tem a autonomia de propor remunerações diferentes para seus funcionários caso opte por essa modalidade. 

Qual a principal diferença entre remuneração e salário? 

Se você chegou aqui, já sabe que entender a diferença entre remuneração e salário é mais fácil do que imagina, né? Mas agora vamos te explicar o porquê elas são classificadas assim. 

Essa diferenciação existe principalmente porque existem empresas que estruturam o plano de cargos e salários de acordo com os valores a serem pagos para cada colaborador. dessa forma, é necessário que exista um mapeamento de tudo a ser pago, desde o salário até os outros tipos de remuneração.

Desse modo, é possível que cada cargo estabelecido dentro de uma organização tenha um salário diferente entre os colaboradores, mas uma remuneração igual, como os valores de auxílio alimentação, por exemplo. 

As empresas que compreendem os tipos de remuneração são diferenciadas, elas entendem como boas práticas de mercado a importância de ter uma remuneração justa para cada função, além de oferecer benefícios como forma de estímulo e incentivo aos seus colaboradores. 

Portanto, é importante incluir a opinião dos funcionários na rotina da empresa. É essencial que a organização tenha conhecimento do que os colaboradores acham a respeito dos salários e remunerações oferecidas pela mesma. Isso fortalece o vínculo entre ambas as partes, propiciando a satisfação e a retenção de talentos. 

Além disso, é importante lembrar que tudo o que apresentamos até agora está mencionado na legislação trabalhista brasileira. Por exemplo, é de responsabilidade da empresa determinar em contrato todos os valores acordados entre ambas as partes sobre a remuneração e salário. 

O que diz a legislação sobre remuneração e salário? 

E já que começamos a falar sobre as determinações da legislação trabalhista, é muito importante que entenda por completo o que diz a lei. Para darmos início, é válido lembrar que o salário é mencionado pela CLT em alguns artigos que veremos abaixo. 

No art 458 da consolidação das leis de  trabalho:

Art. 458 - Além do pagamento em dinheiro, compreende-se no salário, para todos os efeitos legais, a alimentação, habitação, vestuário ou outras prestações "in natura" que a empresa, por fôrça do contrato ou do costume, fornecer habitualmente ao empregado. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou drogas nocivas. (Redação dada pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967)

No art 457 da consolidação das leis de trabalho: 

Art. 457 - Compreendem-se na remuneração do empregado, para todos os efeitos legais, além do salário devido e pago diretamente pelo empregador, como contraprestação do serviço, as gorjetas que receber. (Redação dada pela Lei nº 1.999, de 1.10.1953) (Vide Lei nº 13.419, de 2017)

Na lei 13.467/2017 que estabeleceu uma nova redação ao art 457 da CLT

§ 1º Integram o salário a importância fixa estipulada, as gratificações legais e as comissões pagas pelo empregador.

§ 2º As importâncias, ainda que habituais, pagas a título de ajuda de custo, auxílio-alimentação, vedado seu pagamento em dinheiro, diárias para viagem, prêmios e abonos não integram a remuneração do empregado, não se incorporam ao contrato de trabalho e não constituem base de incidência de qualquer encargo trabalhista e previdenciário.

Em resumo, a legislação determina que estão incluídos na remuneração do colaborador todo tipo de contribuição em troca de serviço, seja gorjeta, comissões, horas extras ou adicionais. 

Ou seja, a remuneração é a junção de todos os benefícios que o colaborador tem direito por contrato, e o salário é o valor referente ao acordo entre empresa e funcionário respeitando as determinações legais sobre salário mínimo. 

Como funciona a folha de pagamento? 

Para começar é importante lembrar que toda empresa, por menor que seja, deve ter um bom controle da folha de pagamento dos colaboradores. Isso porque além de facilitar uma boa gestão de pessoas dentro da organização, é possível que tenha um bom controle sobre as horas de trabalho de cada funcionário. 

Essa função é umas das principais para o setor de recursos humanos e é preciso ter muita atenção ao analisá-la, isso porque, é nesse momento que serão calculadas as variações e benefícios de cada profissional.

Dessa forma, para não correr o risco da sua empresa não indicar corretamente a remuneração e salários dos funcionários, é necessário que esse controle seja feito da forma mais assertiva possível, evitando possíveis processos trabalhistas por conta de irregularidades. 

Como o QR Point pode contribuir para a sua empresa?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre a diferença entre remuneração e salário, saiba que ter um bom sistema de controle de ponto pode garantir que sua empresa cumpra todos os passos em concordância com a legislação.  

Por isso, a QR Point chegou para garantir que sua organização siga todas as normas da legislação, e para isso acontecer é necessário um sistema de controle de ponto com muita qualidade!

Dessa forma, garantimos que a equipe de RH da sua empresa trabalhará primordialmente na gestão de pessoas, pois cuidar do bem estar dos seus colaboradores faz toda diferença no desenvolvimento e produtividade da rotina de trabalho.

Isso só é possível porque a QR Point cuida de todos os processos para você, oferecendo diversas vantagens aos seus colaboradores, como a possibilidade do controle de ponto online. Além disso, garantimos que tudo aconteça dentro do que a lei estabelece.  

No entanto, somos um software de controle de ponto online que além de permitir o registro de ponto em qualquer localização, também colaboramos para que a sua empresa cumpra todas as responsabilidades trabalhistas. 

É possível que em nosso sistema de controle de ponto sejam lançadas as informações sobre faltas, saldos negativos de horas trabalhadas, e até mesmo as horas extras de seus funcionários.

Ademais, você pode evitar que possíveis falhas humanas aconteçam no RH da sua empresa contratando os serviços de controle de ponto da QR Point. Além de permitir que a gestão de pessoas do seu empreendimento cuide mais dos seus colaboradores.

Sendo assim, contrate a QR Point como o sistema de controle de ponto online da sua empresa, e garanta a automatização dos processos com a melhor tecnologia de registro de ponto a cada atualização!

Como a QR Point funciona?

Para dar início, nós fornecemos o registro rápido dos seus colaboradores no software de controle de ponto, reduzindo a dificuldade na hora de adotar o novo sistema.

Uma vez que tudo já estiver nos conformes, você vai poder aproveitar do app do gestor, um dos nossos maiores benefícios.

É através do aplicativo do gestor que você terá acesso a dashboards de indicadores, mostrando todos os colaboradores que estão dentro da organização trabalhando, além daqueles que estão de férias e muito mais!

Portanto, para garantir a estadia do colaborador dentro do local de trabalho, nós usamos os recursos de geolocalização para criar uma cerca digital que garante exatamente onde o ponto online ou o ponto offline está sendo registrado.

E pensando na segurança tanto do colaborador quanto do gestor, o controle de ponto é registrado através do reconhecimento biométrico do profissional. Nós também mantemos o banco de horas de todos os colaboradores, permitindo mudanças nele se necessário.

Entre em contato para tirar qualquer dúvida sobre o nosso sistema de controle de ponto com nossa equipe. Ficou interessado e quer os benefícios do QR Point na sua empresa? Faça hoje mesmo um teste do controle de ponto gratuito e prove a facilidade de ter o cálculo de horas, adicionais e faltas feito automaticamente.

Não vai perder a oportunidade de automatizar a sua empresa com o melhor software de controle de ponto online, né? Saiba mais sobre o nosso controle de ponto em nosso site! Você pode acompanhar mais conteúdos em nossas redes sociais: LinkedIn, Instagram e Facebook.

Tecnologia que poupa tempo e dinheiro para a sua empresa.

O que tá esperando? Comece a usar agora mesmo!