People Analytics: Veja tudo sobre como faturar 56% a mais!

A prática do People Analytics tem alcançado resultados consideráveis na busca dos gestores de RH por aprimorar a gestão de pessoas de sua empresa. Entretanto, isso envolve uma série de práticas de gestão, visando adaptar a empresa a soluções de People Analytics. Consequentemente, soluções com o uso de People Analytics se tornam mais frequentes, assim aumentando o uso de dados.
Tempo estimado de leitura: 11 minutos

People Analytics: Veja tudo sobre como faturar 56% a mais!

A prática do People Analytics tem alcançado resultados consideráveis na busca dos gestores de RH por aprimorar a gestão de pessoas de sua empresa.

Entretanto, isso envolve uma série de práticas de gestão, visando adaptar a empresa a soluções de People Analytics.

Consequentemente soluções com o uso de People Analytics se tornam mais frequentes, assim aumentando o uso de dados.

Além disso, as empresas mais avançadas na prática, tem aproveitado de uma gama maior de tópicos analíticos.

Competitivamente, a prática tem se mostrado valiosa, ao levar o alcance das medidas para os stakeholders da empresa, criando equipes com profissionais de atuação mais avançada.

Porém, para que isso ocorra é preciso fomentar uma cultura de tomadas de decisão direcionadas pela análise de dados.

Como resultado dessas práticas, uma pesquisa feita pela Viser com 259 empresas, mostra que organizações com uso intenso do People Analytics lucram cerca de 56% a mais que as empresas sem tanto engajamento.

E foi pensando em ajudar você a conseguir esse faturamento extra que nós do QRPoint fizemos esse artigo com tudo sobre People Analytics, confira nossos conteúdos:

O que é People Analytics.

Os benefícios do People Analytics.

Os tipos de Analytics.

Os níveis de People Analytics.

Como implementar o People Analytics na sua empresa?

O que é People Analytics?

People Analytics é toda a prática desde a coleta de dados, passando pela análise e por fim interpretação estratégica das informações adquiridas via Big Data, visando compreender todas as pessoas com quem a empresa lida.

Portanto, não são apenas os colaboradores a terem seus dados recolhidos e examinados, mas também os clientes com os quais a empresa lida.

Dessa forma, a metodologia do uso do People Analytics na gestão consiste em transformar os dados coletados de ambos em informações que vão servir de guia para gestores em sua tomada de decisão.

Assim, é possível alinhar e aprimorar a gestão de pessoas, já que as necessidades reais da empresa se tornam mais nítidas.

Isso permite que os líderes personalizem ao nível mais pessoal possível o tratamento de cada indivíduo, com base em seus perfis comportamentais, humanizando o setor de RH.

Como consequência, decisões mais assertivas são tomadas, permitindo um foco objetivo, certeiro e com bases firmes na melhoria da empresa.

Porém, as vantagens que a sua empresa ganha não param por aí, veja mais delas a seguir:

Quais os benefícios do People Analytics?

Os benefícios do People Analytics são a melhoria na liderança empresarial devido à assertividade ganhada na gestão de desempenho, tendo como consequência o engajamento dos colaboradores, resultando no aumento da produtividade.

Entretanto, esses são apenas os benefícios gerais que o People Analytics traz para dentro da organização. Existem muitos outros.

Portanto, veja a seguir de forma mais específica como o People Analytics pode alavancar a sua empresa:

Gestão de pessoas mais assertiva

Com o uso da análise de dados, RH e People Analytics desenvolvem uma relação de cumplicidade. Isso ocorre por conta da interpretação dos dados.

Tal análise ajuda o gestor a alinhar se os resultados que empresa está apresentando estão indo de acordo com as estratégias de gestão de pessoas.

Portanto, através do cruzamento de dados, as decisões ganham mais assertividade o que favorece o avanço da empresa.

E, para além disso, os ganhos também se refletem na cultura organizacional, alinhando todos os colaboradores aos objetivos da companhia.

Gestão de cargos e salários mais eficiente

A gestão de cargos e salários é uma das mais beneficiadas com o People Analytics, por que ele facilita que os planos de carreira sejam feitos de forma mais nítida e consistente.

Isso porque os cargos são definidos de acordo com a necessidade exata da empresa, visando ter certeza de que o colaborador naquela função tem as habilidades necessárias.

Consequentemente, a motivação dos profissionais afetada por haver um plano de sucessão para cargos-chave firme, o que ajuda a diminuir o turnover.

Essa redução ocorre porque os talentos da empresa podem ser rearranjados para atuarem em áreas de mais valor, criando oportunidades.

Isso porque, com o uso do People Analytics, gestão de pessoas passa a ser uma prática baseada em métricas. Tais medidas evidenciam quais os cargos críticos da organização e as habilidades que a mesma já possui em seus colaboradores.

Processos de contratação e desligamento mais precisos

O uso do People Analytics no processo seletivo firma de forma consistente quais são os critérios para selecionar e recrutar novos colaboradores.

Isso se dá porque a análise das informações fornece bases para identificação das necessidades da empresa, evidenciando onde e quando novos talentos são necessários.

Para além disso, o uso do People Analytics ajuda a criar estratégias de melhoria no processo de onboarding e offboarding de colaboradores.

Isso evidencia que a organização dá atenção à experiência do colaborador, até mesmo no momento de demissão, o que consequentemente fortalece o endomarketing.

Aumento na produtividade

Como deu para perceber, todos os pontos citados acima tem forte influência no engajamento e na satisfação do colaborador. Isso traz como consequência o aumento da produtividade.

Entretanto, além desses benefícios, People Analytics também tem uma influência direta na motivação dos colaboradores. Isso ocorre porque essa prática consiste também em fazer pesquisas e análises sobre a satisfação dos profissionais.

Consequentemente, essa gestão inteligente ajuda a desenvolver formas de aumentar o engajamento para que se cumpram os objetivos e metas da empresa.

Para além disso, o desenvolvimento dos talentos também recebe muitos benefícios, poisa metodologia usa análise de dados para identificar pontos fortes e fracos dos profissionais.

Assim, é possível indicar e desenvolver o melhor treinamento que cada indivíduo precisa e, por fim, todas as informações coletadas antes, durante e depois desses processos servem para criar gráficos indicadores para gestão de pessoas.

Essa prática permite o monitoramento estratégico, que leva em conta as competências de cada profissional, assim como os treinamentos e gastos a serem feitos.

Agora que você sabe que gestão de cargos, avaliação de desempenho, People Analytics e gestão de talentos estão conectados e as vantagens deles para sua empresa, confira abaixo os tipos de análise que podem ser feitos.

Quais os principais tipos de Analytics?

Os principais tipos de Analytics são o Human Resources Analytics, o Workforce Analytics, o People Analytics e o Human Capital Analytics.

Entretanto, apesar de parecerem diferentes temas complicados, cada tipo de análise possui uma função específica e a união delas forma uma força indispensável para sua empresa.

Portanto, para facilitar, veja abaixo a definição da atuação de todas delas e entenda a importância de cada uma dentro do seu planejamento de gestão de Recursos Humanos.

Human Resources Analytics

Análise de RH trata-se de um conglomerado de análises feita por um profissional de RH buscando compreender os processos de técnicas atrelados ao setor de recursos humanos.

Esse mapeamento é feito visando trazer mudanças para o setor geralmente a partir do RH tecnológico aprimorando seus processos e práticas.

Portanto, são analisados procedimentos específicos, como por exemplo o controle de ponto dos colaboradores e seu registro na folha de pagamento, buscando diminuir o número de processos e fazê-los em menos tempo, gerando economia.

Workforce Analytics

Essa análise é feita baseada na força de trabalho. Portanto ela perpassa por todas as características do trabalho, envolvendo tanto fatores relacionados e não-relacionados às tarefas do colaborador.

Portanto ela busca compreender os processos de trabalho, assim como a gestão de atividades futuras as mudanças ocorridas no fluxo de trabalho.

Além disso, essa análise também dá atenção ao trabalho não realizado, sendo responsável então para revisar processos feitos de forma automatizada, seja por inteligência artificial, robôs e etc.

People Analytics

Chegamos em People Analytics, o que é nosso foco, a prática da análise de pessoas. Entretanto, essa análise não é feita focando apenas no ambiente de trabalho de forma isolada.

Assim, são relevantes para ela aspectos como: bem-estar do colaborador, preconceito e inclusão dentro do ambiente de trabalho, equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, perfil psicológico e muitos outros.

Dessa forma, os planejamentos são feitos buscando uma tomada de decisão que seja melhor para as pessoas. Entretanto, a entrega de resultados também interessa o People Analytics.

Portanto, os dados colhidos servem para medir as competências dos colaboradores, sua produtividade e também nível de aprendizagem. Consequentemente os gestores podem tomar melhores decisões com base nesses resultados.

Human Capital Analytics

Essa análise foca no capital humano, levando em conta então os conhecimentos agregados pelos colaboradores, assim como suas competências, atributos pessoais e sociais, habilidades cognitivas, entre outros.

Portanto, trata-se de uma visão mais voltada ao fluxo de caixa, que considera os ganhos monetários captados em cima das características citadas. Mensurando, portanto, o valor que o colaborador agrega à empresa.

Então, o principal objetivo dessa prática e conseguir agregar valor à organização, aumentando o capital humano.

Agora que você conhece os diferentes tipos de análise e sabe bem a atuação do People Analytics nesse meio, veja a seguir os níveis de maturidade dessa prática nas empresas.

Quais os níveis de People Analytics?

Os níveis de People Analytics são Descriptive Analytics, Diagnostic Analytics, Predictive Analytics, Prescriptive Analytics que variam de acordo com o tipo de informação que se pode adquirir através da prática.

Assim, cada um desses níveis varia de acordo com a experiência que a empresa tem com o uso do People Analytics. Além disso, cada nível busca sanar um espectro de questionamentos que a organização pode fazer.

Por exemplo, o primeiro nível se preocupa em descobrir o que aconteceu que levou aos resultados atuais. Já o segundo, por sua vez, se preocupa e entender o motivo desses acontecimentos.

Em seguida, o próximo nível já exige uma análise mais experiente, que busca prever eventos futuros, podendo preparar tanto a empresa quanto a liderança para lidar com eles.

E, finalmente, a forma mais avançada de People Analytics busca um modo de controlar e influenciar os eventos futuros, com base em todas essas informações obtidas anteriormente.

A seguir, confira uma descrição mais detalhada de cada nível de análise.

Descriptive Analytics

Trata-se do nível iniciante, onde as empresas devem começar a prática do People Analytics. Um erro comum é tentar iniciar do mais avançado, já que essa é uma metodologia que exige prática.

Assim, nesse primeiro momento o gestor deve buscar entender formas de conseguir interpretar os dados coletados e ter respostas a questionamentos mais simples.

Portanto, o Discriptive Analytics é usado para elucidar eventos que ocorreram numa faixa de tempo passada, podendo ser feito com recursos de Business Inteligence.

Diagnostic Analytics

Passando para o próximo nível, já é necessário buscar técnicas mais avançadas de estatística e coleta de dados.

Isso ocorre porque o Diagnostic Analytics, ainda que esteja na mesma linha de análise de eventos já ocorridos do primeiro nível, busca entender os motivos de um determinado problema, por exemplo.

Portanto, nessa fase, você gestor aprende a fazer diagnósticos do que ocorreu, podendo sanar as pontas soltas e evitar que erros que já aconteceram se repitam no futuro.

Predictive Analytics

Após ter reconhecido os problemas dentro da organização e ter criado formas de resolvê-los, sua empresa pode estar pronta para o próximo passo: prever cenários futuros.

Entretanto, essa não é uma tarefa fácil e envolve a utilização de conhecimento estatístico avançado e o uso de tecnologia no RH como inteligência artificial.

Com isso, é possível preparar a empresa e até mesmo oferecer novos serviços para os clientes com mais agilidade, antevendo as demandas emergentes. Essa prática pode levar a um alto nível de competitividade, e até mesmo pioneirismo.

Prescriptive Analytics

Trata-se da forma mais avançada de People Analytics. Nela, você entende os problemas da sua empresa, suas causas e consegue trabalhar em cima delas antes que algo aconteça.

Dessa forma, mesmo que um problema seja muito difícil de ser previsto ou inevitável, os efeitos negativos dele serão mínimos e a resolução a mais rápida possível.

Por ser um método onde as atitudes são tomadas antes mesmo que o problema ocorra, ela exige softwares de RH mais complexos, envolvendo: simulações, machine learning, análise de gráficos e criação de redes neurais.

A partir daqui as técnicas se tornam as mais modernas do mercado, exigindo um nível de conhecimento e prática mais profundos.

Agora que você já sabe os níveis de People Analytics e como eles funcionam, veja a seguir como colocar em prática essas técnicas dentro da sua organização.

Como implementar o People Analytics na sua empresa?

Como deu pra ver acima, a implementação das técnicas mais avançadas de People Analytics é um processo. Portanto o gestor de RH deve ir sempre com calma, afinal, decisões mal tomadas podem comprometer toda a empresa.

Logo, veja a seguir um passo a passo para começar a por em prática o uso de People Analytics na sua empresa.

Saiba quais são os problemas da sua empresa

Implementar o People Analytics na empresa não deve ser algo feito do nada apenas porque é lucrativo, mas sim com um objetivo nítido à frente.

Portanto, o primeiro passo é saber quais problemas você deseja solucionar com o uso da tecnologia no RH e análise de dados. A seguir estabeleça metas, por exemplo:

Como diminuir o turnover dentro da organização?

Como aumentar a produção do novo setor em 10% até o final do ano?

Procure observar problemas que sejam abrangentes, que atingem a empresa como um todo ou que estão presentes na maioria dos setores.

Para isso, busque olhar os indicadores de desempenho mais relevantes para a organização, procurando ter o panorama mais amplo possível.

Crie uma hierarquia de importância dos problemas

Após ter feito uma listagem dos principais problemas que a empresa enfrenta, chega a hora de classifica-los.

Para isso, defina quais tem maior urgência e quais tem maior importância. Sempre priorize os mais urgentes, e em seguida dê atenção àqueles que tiverem uma importância alta para a organização.

Assim, você terá sempre a certeza de que estará agindo onde suas ações tem mais impacto.

Por consequência, você também terá noção de quais são os problemas mais fáceis de resolver, caso queira dar atenção a eles ou ainda não tenha recursos para sanar os outros.

Colete dados e informações úteis

Esse é um passo muito importante e onde muitos gestores acabam se atrapalhando e cometendo imprecisões. É preciso ter em mente que os dados que serão coletados precisam ter forte valor estratégico para a empresa.

Aqui, cabe recorrer a uma HR Tech para estar realizando pesquisas envolvendo tanto os colaboradores como também os clientes da empresa.

Entretanto, existem diversas formas que você pode usar para adquirir os dados, como questionários de comunicação interna, históricos de desempenho, relatórios, pesquisa de clima organizacional, entre outros.

Portanto, como essa é uma fase onde você está buscando reunir dados, as informações antigas contidas na empresa também são valiosas. Nem tudo gira em torno de realizar novas pesquisas.

Assim, busque aproveitar os sistemas de métricas que seu RH já possui e complementa-lo com novas práticas apenas se for necessário, reduzindo custos.

Faça uma análise dessas informações

Chegamos em uma das partes mais complexas do processo e que mais requer expertise para ser executada. A análise de dados pode ser um desafio para sua organização, tendo em vista que exige conhecimento estatístico do gestor, muitas vezes.

Dessa forma, essa fase é muito importante pois é a partir dela que os insights e novas ideias para práticas que vão sanar os problemas irão surgir.

Aqui, o uso da tecnologia se mostra novamente um grande aliado, pois há uma gama de ferramentas que podem auxiliar os gestores a fazer uma curadoria eficiente dos dados, de forma intuitiva e facilitada.

A interpretação desses dados pode ser feita tanto juntamente à alta gestão da empresa quanto em conjunto com os colaboradores, dando a eles voz ativa e o sentimento de pertencimento e participação.

Crie um plano de ação e ponha em prática

Nesse momento, após ter analisado de forma meticulosa os dados coletados, você precisará criar e colocar em prática um plano de resolução para os problemas listados inicialmente.

Caso você esteja, por exemplo, buscando diminuir os fatores que possam contribuir para a rotatividade dos colaboradores, é possível criar uma ponte que relaciona a diminuição do turnover com as avaliações de desempenho feitas pelas lideranças de dentro da empresa.

Aqui, um ponto extremamente importante a se considerar e por em prática é a mensuração dos resultados das ações tomadas, afinal, mais importante do que tomar atitudes é garantir que essas atitudes tenham um resultado relevante dentro da organização.

Para tanto, é possível buscar criar KPIs e ver quais se adequam mais ao seu ramo empresarial e aos problemas que estão sendo enfrentados, assim como torna-los intrínsecos das soluções.

Sabendo então o passo a passo para introduzir o People Analytics na sua empresa veja a seguir uma dica bônus que vai alavancar o ritmo da sua organização e facilitar o dia a dia dos gestores de RH:

Conte com o QRPoint

Agora que você já teve uma introdução ao People Analytics, como aplicar, quais vantagens, níveis e passo a passo, sabe que pode contar com o QRPoint para fazer um registro de ponto eficiente que, posteriormente, pode ser metrificado.

Isso porque as faltas, presenças e horários de trabalho dos colaboradores são métricas importantes para o People Analytics, e com o QRPoint você tem o melhor suporte de funcionalidades para fazer esse registro.

Entre essas funcionalidades estão o registro na folha de ponto, assim como também o cálculo de horas, adicionais, e faltas e seu armazenamento no banco de horas.

Além disso, o sistema é completamente integrado com ERPs, portanto a disposição de dados é centralizada e facilitada, o que favorece as características do People Analytics como ganhar agilidade nas decisões.

Sem contar que o software também fornece dashboards indicadores, que deixam o controle de tudo na palma da sua mão através dos recursos presentes no aplicativo do gestor.

Portanto, para ter todos esses benefícios e muitos outros dentro da sua empresa ainda hoje você pode começar com um teste gratuito.

Ficou interessado? Entre em contato e saiba mais sobre como ter o controle de ponto da sua empresa online e automatizado!

Tecnologia que poupa tempo e dinheiro para a sua empresa.

O que tá esperando? Comece a usar agora mesmo!